Empregos no Canadá: talvez não seja tão fácil assim

Todo dia eu vejo no Facebook notícias com manchetes do tipo “O Canadá precisa de brasileiros”, “Empresa canadense contrata brasileiros”, fora a crença de que quem trabalha com TI consegue emprego por aqui super fácil e rápido. Chegando aqui vimos que não é bem assim e hoje eu vou contar pra vocês nossas (não tão boas) experiências com empregos aqui, eu no comércio e Vinícius (marido) em TI. Não é, de jeito nenhum pra desencorajar ninguém, nem pra reclamar da vida, mas pra mostrar que nem tudo é fácil como parece. E claramente, a nossa experiência não é uma regra. Vamos as histórias!

Há um tempo atrás eu contei sobre meu primeiro emprego por aqui e depois daquele post não falei mais nada, né? Pois é, eu estava esperando ter certeza de tudo pra relatar exatamente o que aconteceu e o desfecho foi que meu primeiro emprego em Toronto não deu certo. Recapitulando um pouquinho, eu disse que tinha feito entrevista na Pandora (joalheria) e na hora mesmo a gerente que me entrevistou disse que eu estava contratada. Cheguei a preencher alguns papéis, outros eu trouxe pra casa pra completar e ela ficou de mandar dois e-mails, um viria do próprio e-mail dela solicitando meus documentos e o outro viria de um e-mail central com um link pra eu fazer um treinamento on-line. No dia seguinte eu recebi só o e-mail do treinamento e pensei “talvez quando eu terminar ela seja notificada e mande o outro email”. Fiz o treinamento todo em 3 dias, esperei mais um e nada. Liguei pra ela: “Oi fulana, eu terminei o treinamento e queria sabe o que eu tenho que fazer agora”, ela não lembrava muito de mim, pediu pra eu falar minha disponibilidade de horários de novo (já tinha deixado isso com ela naquele dia) e só disse que ia mandar minha escala por e-mail no dia seguinte. Passaram mais alguns dias e nada. Vinícius pensou “talvez ela ainda não tenha montado a nova escala ainda, espera mais um pouco”. Quando deu mais uma semana eu liguei pra ela de novo e a resposta foi a mesma, “vou te mandar sua escala”. Estou até agora esperando. Eu poderia ter ido até a loja pessoalmente de novo tentar falar com ela? Poderia, mas não quis. Fiquei tão chateada (um pouco brava também), que desanimei total. Vai que eu começo e ela esquece de mim na hora de pagar. (rs)

Confesso que tem um outro fator importante, que era eu não querer tanto assim trabalhar lá, inclusive falei isso no outro post, por ser vendas, ter meta mensal, eu ainda ser insegura com o inglês pra isso e o principal não gosto de vender. Então eu mesma posso ter jogado essa energia pro Universo e acabei “autoboicotando” meu emprego. Resumindo, não rolou.

(Conheci outra brasileira que trabalha lá e com ela deu certo, então não tomem meu caso como verdade absoluta. Até porque senão a loja não estava lá funcionando com todos aqueles vendedores.)

Mas o Vinícius, que é de TI, tem visto de trabalho aberto, inglês fluente, formado na melhor universidade do Brasil, com 10 anos de experiência, incluindo bancos e multinacionais, ia ser muito fácil de conseguir trabalhar na área. Errado! Para começar, muita gente acha que qualquer área de TI tem muita demanda e não é bem assim, para os programadores tem mais demanda mesmo, talvez, seja realmente mais fácil, mas não é o caso do Vini que é Business Analyst. Mesmo assim, ele mandava entre 10 e 20 currículos, por dia, que basicamente leva um dia inteiro, porque aqui você tem que adaptar seu currículo e carta de apresentação, que é meio que obrigatória, para cada vaga que você se candidata e isso leva tempo. Três semanas depois sem nenhuma ligação, ele resolveu pagar pra uma empresa mexer no currículo dele pra ver se ajudava, isso porque desde o Brasil já estava no padrão americano. Com o currículo novo, ele continuou no mesmo ritmo, mas começou a receber ligações e fazer entrevistas por telefone, ou seja, o investimento no currículo deu resultado. Passou pra entrevista presencial em vários processos. Chegou a ser “contratado”, mas quando a empresa pediu os documentos, viu que não era residente permanente e declinou, mesmo sendo para uma vaga temporária. Basicamente, esse foi uns dos principais motivos de recusa, não ser residente, o outro foi a falta de experiência canadense, o que é realmente incomum pra quem acabou de chegar né? Fora, é claro, que se a etapa final for entre um brasileiro e um canadense, tendo eles as mesmas qualificações, eles dão preferência aos canadenses, o que eu acho até natural. Nesse meio tempo, ele estava trabalhando meio período na Winners e antes ainda, trabalhou um tempinho na construção, porque né, as contas chegam todo mês. Longos 6 meses se passaram e depois de muitas entrevistas por telefone, presenciais e por vídeo conferência, o emprego na área saiu esse mês!

Moral da história, pode não ser tão fácil assim. Pra quem está vindo pra cá, é bom se planejar muito bem financeiramente para um caso como esse do emprego demorar mais do que o esperado.

A minha história “empregatícia” também teve final feliz, eu já tenho um novo emprego e estou trabalhando mesmo dessa vez! Conto os detalhes em breve!

=)


Facebook: Letícia Xis Blog
Instagram: @leticiaxis

(imagem: http://labonnevie.ca/canada-job-expo-september-2017-event-north-york-memorial-hall-sep-21/)

Anúncios

2 comentários sobre “Empregos no Canadá: talvez não seja tão fácil assim

  1. Hervelly disse:

    Que bom que as coisas deram certo, muito bom seu post, a intensão não é desencorajar ninguém, mais preparar para quem esta se planejando ir, agradeço por compartilhar sua experiência.
    Sucesso para vocês.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s