Viajando com cachorro para o Canadá (Parte I: documentos e procedimentos)

Essa semana nossa família ficou completa de novo, com a chegada do nosso João! Ele não pôde vir com a gente em dezembro, porque a cia aérea não embarca animais nesse período, então ele ficou com a minha mãe em São Paulo e o Vinícius voltou para buscá-lo agora em fevereiro. No fim até que foi bom, apesar da saudade, porque a chegada aqui é bem corrida e ele chegou já com tudo pronto.

Eu vou contar pra vocês que estão planejando vir pra cá com seus peludos todo nosso processo, desde as primeiras pesquisas até a chegada dele aqui e como a história é um pouco longa, vou dividir em 2 posts. Todos os links para consulta e contatos estarão no final do post.

Pra começar o que nos fez decidir de vez pelo Canadá foi o João. rs A Austrália ainda estava no páreo, mas levar cachorro do Brasil pra lá é milhões de vezes mais complicado (e caro) e a gente não ia sem ele.

Com tudo decidido, a primeira coisa que fizemos foi procurar  a bolsa de transposrte pra já irmos treinando ele, e  ele ir se acostumando a ficar nela. Escolhemos embarcar com a Air Canada, que é  única que tem vôo direto São Paulo-Toronto e seria mais tranquilo pra ele. O João é um vira-lata, tem o limite do peso e é um pouquinho maior que o tamanho máximo pra ir na cabine.

whatsapp-image-2017-02-26-at-2-39-22-pm-1

9kg, Comprimento 53cm, Altura 37cm, Largura 21cm

Procuramos uma bolsa no tamanho máximo perimitido pela Air Canada e não achamos nada, em nenhum lugar de São Paulo. Só achávamos muito maior ou muito menor. Até que encontramos uma ONG chamada Amigos de Pelo, que faz sob encomenda. Entrei em contato, fomos até lá com o João pra conhecermos e pra ver se ele ficaria confortável numa bolsa desse tamanho ou se seria melhor ele vir no compartimento de cargas mesmo.

A bolsa ficou ótima pro tamanho dele e encomendamos a nossa em agosto. Ela faz no tamanho certinho e você pode escolher o material, estampa, cortininha, tudo. Assim que ficou pronta fomos buscar e AMAMOS o resultado. É muito resistente, linda e cheia de detalhes. Super recomendo! Além de comprar a bolsa, você acaba ajudando a manter a ONG, já que a D. Lourdes largou a profissão e aprendeu a costurar, pra conseguir se dedicar integralmente aos animais que ela acolhe.

whatsapp-image-2017-02-28-at-6-03-31-pm

whatsapp-image-2017-02-26-at-2-39-22-pm-2

Com a bolsa em casa começamos a andar com ele de carro dentro da bolsa pra ele acostumar e relacionar a bolsa a um momento que ele ama, que é passear!

whatsapp-image-2017-02-26-at-2-36-37-pm

Depois da bolsa, tudo que precisaríamos fazer seria mais próximo ao embarque, então deixamos tudo mais ou menos programado pra não esquecer de nada. Nossa lista era:

  • Reservar o lugar dele no vôo
  • Aplicar a vacina de raiva
  • Emitir Cerficado de Vacinação contra Raiva
  • Emitir Atestado de Saúde
  • Emitir CZI

RESERVA NO VÔO
Como vocês já sabem nós chegamos aqui em dezembro, na metade de janeiro meu marido comprou as passagens dele pro Brasil pra buscar o João. Antes de comprar a passagem eu liguei na central de reservas da Air Canada pra verificar se ainda tinha lugar para animais no vôo da volta, já que eles tem um limite pequeno (4 animais por vôo se não me engano). Assim que ele comprou eu liguei lá de novo  pra reservar o lugar do João. Essa parte é super simples, ela só me pediu o localizador da reserva e disse que estava confirmado.
Eles cobram uma taxa de U$100 para embarcar animais na cabine, que é paga no embarque. O animal e a bolsa juntos devem pesar no máximo 10kg e as medidas máximas permitidas são: Comprimento 55cm, Largura 40 cm, Altura 27cm. Cada passageiro só pode embarcar com um animal na cabine.

VACINA DE RAIVA
A vacina de raiva deve ter sido aplicada dentro do prazo máximo de 1 ano e mínimo de 20 dias do embarque. As vacinas dele venceriam em março, então teoricamene não precisaríamos reaplicar pra viagem. Mas pra não termos que aplicar aqui logo depois da chegada dele, conversamos com a veterinária dele e ela concordou em adiantar 1 mês e ele vir com tudo certinho. Então no final de janeiro ele tomou a vacina de raiva e a V10. Lembrando que a V10 não é exigida para entrada no país, foi escolha nossa.

CERTIFICADO DE VACINAÇÃO CONTRA RAIVA
Esse certificado é exigido na entrada do país, pela Canadian Food Inspection Agency, que também cobra uma taxa CAD33. Deve ser emitido por um médico veterinário seguindo as seguintes especificações:

  • escrito em inglês ou francês
  • carimbado e assinado por um médico veterinário
  • identificar o animal (raça, sexo, cor e peso)
  • certificar que o animal está vacinado contra raiva
  • indicar a data de vacinação
  • indicar a marca e número de série da vacina
  • indicar a duração de imunização da vacina

ATESTADO DE SAÚDE
Esse atestado de saúde é exigido pelo Ministério da Agricultura para emissão do CZI (Certificado Zoossanitário Internacional), que é obrigatório para saída do animal do país de origem e entrada no país de destino. As especificações são:

  • identificação do proprietário: nome, CPF ou CNPJ e endereço completo;
  • nome, espécie, raça, sexo e pelagem
  • idade real ou presumida
  • informação sobre o estado de saúde do animal
  • informações sobre imunizações
  • identificação do médico veterinário: carimbo (legível) com o nome completo, número de inscrição no CRMV e assinatura
  • data e local

EMISSÃO DO CZI
Também é um procedimento bem simples. Como o Vinícius estaria trabalhando em São Paulo, minha mãe que foi levar os documentos para emissão do CZI. Ela ligou antes pra verificar se poderia ir no lugar do proprietário e eles só pediram pra levar uma carta simples de próprio punho assinada por ele, autorizando ela a solicitar a emissão, e uma cópia do RG dele. No momento do agendamento eles perguntam a data da viagem a o país de destino, porque cada país tem suas exigências, que pode influenciar no prazo para retirada do documento. Ela agendou um horário na Vigiagro do Aeroporto de Guarulhos pra 3 dias antes do embarque e levou a carta do Vinícius, cópia do RG dele, RG dela, o Atestado de Saúde do João e a carteirinha de vacinação dele. O documento ficaria pronto em 48h e o Vinícius foi buscar no dia da viagem de manhã (o embarque deles era a noite).

Agora é só embarcar!

No próximo post eu vou contar em detalhes como foi a viagem em si, embarque, desembarque, taxas e como o mocinho se comportou.

Links citados:

ONG Amigos de Pelo – A D. Lourdes é uma fofa, muito atenciosa, muito caprichosa e já mandou vários peludos pro Canadá nas suas bolsas, então é expert nisso. Além disso, ela faz caminha, roupinha, tudo sob medida. Eu fui até lá pessoalmente, conheci os animais, as dependências e é demais o trabalho dela. Recomendo muito! Ela envia pra todo o Brasil. Contato: amigosdepelo@gmail.com

Air Canada – Pra saber as especificações de tamanho e peso permitidos, medidas da bolsa e taxas.

Canadian Food Inspection Agency – Pra saber todas as exigências para entrar com animais no país e detalhes sobre o Certificado de Vacinação contra raiva.

Ministério da Agricultura – Pra saber sobre a emissão do CZI e postos da Vigiagro.

 

 

Anúncios

5 comentários sobre “Viajando com cachorro para o Canadá (Parte I: documentos e procedimentos)

  1. Ceci disse:

    Muito legal seu post… não vejo a hora de poder ler o próximo, pra saber como foi a viagem… Vamos levar nossas duas pequenas junto conosco em breve, pela Air Canada. Quero saber tudo!! 🙂

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s